Tendência do futuro, escolas do Sesi vão lançar plataforma de programação

E se seu filho, além de brincar com o celular, o tablet e o laptop, soubesse criar os próprios programas de computador, aplicativos e jogos? Essa é a proposta da Escola do Sesi, que defende o ensino da linguagem da programação desde cedo, como forma de compreensão e modificação da realidade. 

“Existem dois conceitos diferentes: o aprender a programar e o programar para aprender. É este que defendemos”, resume a pedagoga e mestre em educação Simone Cruz, que é gerente de educação do Sistema Fiems.

Na rede de Educação do Sesi ensinar a programar já não é algo paralelo, mas vinculado ao currículo escolar. Os conceitos de robótica e, consequentemente, a programação, são aplicados em diversas disciplinas, de Matemática ao Português, em favor do ensino e da solução de problemas reais.

Agora, o Sesi quer aprimorar esse aprendizado e inicia, a partir desta quinta-feira (09/08), o projeto RoboGarden, uma plataforma desenvolvida no Canadá e que será utilizada em sala de aula para que, desde os primeiros passos, o aluno esteja familiarizado com uma aprendizagem criativa, rompendo a barreira da decoreba, exercícios repetitivos e métodos tradicionais de ensino que não conseguem prender a atenção de crianças e adolescentes.

Lançamento

Na quinta-feira (09/08), o RoboGarden será apresentado em Campo Grande (MS) pelo presidente da RoboGarden e PhD em Engenharia Geomática, Mohamed Elhabiby, que passará uma curta temporada no Brasil para mostrar como a programação já faz parte do DNA de estudantes das grandes potências mundiais.

Às 8 horas, junto do presidente da Fiems, Sérgio Longn, o idealizador da RoboGarden participa do “Café de Inovação na Educação”, no qual a plataforma será apresentada à comunidade acadêmica de Mato Grosso do Sul. O evento será realizado no Edifício Casa da Indústria.

Mais tarde, no mesmo local, a partir das 19 horas, Longen fará o lançamento oficial do RoboGarden e também será apresentada uma palestra, ministrada por Mohamed Elhabiby, sobre “Programação e o Mercado de Trabalho”, com a presença de pais de alunos da Escola do Sesi da Capital.

“Embora haja, sim, uma pressão para a preparação dos jovens para o mercado profissional, onde chovem vagas para trabalhar com tecnologia, nosso objetivo maior é estimular a programação como um instrumento que auxilie os alunos a ver o mundo de uma forma diferente”, explicou Simone Cruz.

Projeto-piloto

O projeto-piloto do RoboGarden inclusive já têm data para começar: a partir do dia 13 de agosto, alunos do 6º ano, quando iniciam o Ensino Fundamental II, e da 1ª série, quando começam o Ensino Médio, vão, pelo período de três meses, mergulhar no universo da programação nas sete escolas do Sesi, em Campo Grande, Três Lagoas, Dourados, Aparecida do Taboado, Maracaju, Naviraí e Corumbá.

Depois, alunos das demais séries também passarão a usar a plataforma, assim como os integrantes das aulas de Robótica nas Bibliotecas da Indústria do conhecimento espalhadas por 40 cidades do Estado.

“Será uma grande mudança, uma disruptura e uma grande mudança de cultura e comportamento tanto por parte dos alunos quanto da equipe pedagógica”, finalizou Simone Cruz.

Confira abaixo a programação de lançamento:

1ª – Café de Inovação na Educação

Data: Quinta-feira (09/08)

Horário: 8 horas

Local: Edifício Casa da Indústria

Endereço: Avenida Afonso Pena, 1.206, Centro

2ª – Lançamento RoboGarden

Data: Quinta-feira (09/08)

Horário: 19 horas

Local: Edifício Casa da Indústria

Endereço: Avenida Afonso Pena, 1.206, Centro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s