Novo anel viário da Capital pode ficar pronto ainda este ano

Caso consiga receber do Governo Federal o recurso necessário para a execução da última parte do projeto, o novo anel viário de Campo Grande, que está em construção desde 2011 e irá interligar as saídas para Rochedo, Rochedinho e Cuiabá, deverá ficar pronto até o final deste ano. Ao todo, são necessários R$ 9,5 milhões para a conclusão da obra, o montante será investido na construção de três rotatórias, sendo uma em cada rodovia envolvida (MS-080, MS-010 e BR-163). O ministro do Governo, Carlos Marun, garantiu o repasse, que contará com a contrapartida da Prefeitura no valor de R$ 950 mil.

De acordo com as informações, os recursos fazem parte do projeto ‘Chave de Ouro’, do Governo Federal, e que pretende concluir diversas obras em andamento no país até o final deste ano, quando termina também a gestão do presidente Michel Temer (MDB). Ao participar da reunião sobre a execução da obra na sede do Dnit, em Campo Grande, o prefeito Marcos Trad assegurou que o macro anel será concluído até o mês de dezembro, caso a verba seja destinada e o clima colabore.

Marcos Trad, acompanhado do ministro Marun, visitou o trecho Norte do projeto, que compreende oito quilômetros de via entre a MS-010 (saída para Rochedinho) ate a BR-163, na saída para Cuiabá. Neste, já foram concluído os serviços de drenagem e terraplanagem e se não tivesse chovido nesta sexta-feira já ficariam prontos os primeiros 1.500 km de pavimento. O anel viário vai tirar o fluxo de caminhões e carretas do centro de Campo Grande, possibilitando uma via mais rápida e segura.

Na próxima terça-feira, técnicos da Prefeitura e do DNIT, com a presença do ministro do Governo, Carlos Marun, vão estar na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em Brasília, com objetivo de obter autorização da agência reguladora para que o Município de Campo Grande possa executar a rotatória na BR-163, uma vez que a via é administrada por uma concessionária.

O projeto

Conforme a Prefeitura, o projeto do novo anel viário passou por ajustes para contemplar a construção dos colchões drenantes, que não estavam previstos na proposta original. Também foi preciso alterar os projetos das rotatórias que foram mudadas, por exemplo, para se adequar a duplicação da MS-080. As alterações exigiram um aditivo de R$ 1.603.513,62 no convênio original.

O serviço foi interrompido há quatro anos, quando  87,30% da terraplanagem tinha sido concluído; 63,55% da pavimentação e 72,97% da drenagem, além de terem sido concluídas as duas pontes planejadas (sobre os córregos Botas e Ceroula). Entre a MS-080 e a MS-010, 12 quilômetros estão prontos, falta asfaltar apenas 700 metros. O trecho seguinte, entre a MS-010 e a BR-163 tem 2,5 quilômetros asfaltados e falta concluir seis quilômetros.

Com os aditivos (para atualização de planilhas que ficaram defasadas após quatro anos de paralisação) e reprogramação, para inclusão de novas obras, o macro anel fechará com um custo total de R$ 37 milhões. Já foram aplicados R$ 21 milhões e até a conclusão da obra serão investidos mais R$ 16 milhões. O novo anel viário terá uma extensão total de 24 quilômetros de uma ponta para a outra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s