MDB vai com Odilon e Jair Bolsonaro no 2º turno; PDT também apoiará o presidenciável

Já esperada por muitos, o MDB definiu que irá apoiar o Juiz Odilon de Oliveira (PDT) neste segundo turno das eleições estaduais. A oficialização aconteceu na tarde de quarta-feira (10), na sede do diretório estadual do partido. Fontes de dentro da legenda afirmam que parte da equipe que atuou na campanha do deputado Júnior Mochi (MDB), que ficou em terceiro lugar no primeiro turno, já está operando em favor do pedetista.

Na coletiva, Mochi deixou claro que a decisão não foi unânime, mas obteve a maioria dos votos das lideranças partidárias. A decisão foi tomada logo na segunda-feira (08), após a eleição de domingo (07), e a reunião interna da sigla durou mais de três horas. O ‘racha’, por assim dizer, tinha indicações de todos os lados, tanto para apoiar o candidato à reeleição Reinaldo Azambuja (PSDB) como o de permanecer neutro e já se preparar para o pleito municipal de 2020.

Júnior Mochi recebeu mais de 150 mil votos no primeiro turno. O emedebista afirmou que a partir de agora está à disposição de Odilon e que ele participará da campanha da forma que o cabeça de chapa entender ser a melhor. “Ele vai dizer o que quer fazer na campanha e, naquilo que ele entender, nós vamos fazer”. Na ocasião, o ex-candidato também informou que a direção emedebista de MS decidiu apoiar o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Odilon disse se sentir honrado com o apoio e lembrou nomes importantes da política estadual e nacional que pertenceram ao MDB. “Não só o coração da gente tremula, mas a alma também. Estou recebendo um apoio aqui em favor da sociedade, aqui representada neste ato solene por todos vocês. Apoio de pessoas importantes, de um partido importante e eu quero trazer a lembrança de Wilson Barbosa Martins e Ramez Tebet”, lembrou.

Questionado se conversou com o ex-governador André Puccinelli, líder maior do MDB no Estado, Odilon respondeu que não. “Puccinelli já prestou serviços à sociedade, está em um lugar que ninguém gostaria. Não falei diretamente com ele e tratei as questões com Junior Mochi e com outros integrantes do partido, como o senador Moka. Puccinelli já cumpriu o papel dele no Estado”, disse.

Assim como os novos aliados, Odilon e o PDT anunciaram que também irão apoiar Jair Bolsonaro neste segundo turno das eleições presidenciais. “A Executiva Nacional do PDT deixou livres os candidatos dos Estados. Independente dessa decisão, eu já havia voltado meu pensamento para o Jair Bolsonaro”, explicou.

Odilon chegou a ser questionado sobre um vídeo que passou a circular nas redes sociais e por meio de mensagens do aplicativo WhatsApp, nesta quarta-feira, em que o presidenciável do PSL aparece agradecendo aos eleitores do Estado. “Eu vi esse vídeo e o Bolsonaro faz apenas uma saudação a Reinaldo Azambuja e agradece pela votação recebida”, observou o pedetista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s