200 mulheres foram beneficiadas com mamografia gratuita na Capital

No mês de conscientização pela prevenção do câncer de mama, o Centro Avançado de Diagnóstico por Imagem Documenta, situado no primeiro andar do Hospital Cassems de Campo Grande, ofereceu 200 mamografias digitais gratuitas para mulheres, em parceria com a FujiFilm. A ação selecionou mulheres acima dos 40 anos que não têm plano de saúde e a procura pelo exame foi intensa.

No dia 1º de outubro, quando foi lançada a campanha, as primeiras 100 vagas disponibilizadas já foram preenchidas. Devido à grande procura, foram oferecidas outras 100 vagas na semana seguinte, também preenchidas rapidamente. Reconhecido como o exame mais importante para identificar o câncer de mama antes do surgimento dos sintomas, a mamografia consegue captar a existência de pequenas lesões que sinalizam alguma suspeita da doença.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que, até o final de 2018, sejam diagnosticados 59.700 novos casos de câncer de mama no Brasil, o que corresponde à média de 56 casos a cada 100 mil mulheres. O diagnóstico precoce influencia potencialmente o processo de recuperação.

Regina Paula Rossetti Martins, de 40 anos, fez o exame pela primeira vez e perdeu o medo. “Estava um pouco apreensiva, mas foi tranquilo. Com certeza vou continuar me prevenindo”, disse. Outra beneficiada pela ação que nunca tinha feito mamografia foi a auxiliar de serviços gerais Edina Maria Gonçalves, de 43 anos. “Tive um pouco de medo porque falavam que doía, mas não senti nada, foi tudo bem”, relata.

O histórico familiar foi outro fator relevante que levou mulheres a buscarem o exame. A pensionista Jussara Saravi Anderson, de 66 anos, tem uma irmã que já fez tratamento de câncer de mama. “Minha irmã descobriu precocemente e se recuperou, por isso decidi me prevenir melhor”. Jussara não fazia o exame há muitos anos por ser cadeirante e ter dificuldades de locomoção. “Para mim, foi ótimo o atendimento, muito rápido”, avalia.

Diferente do método analógico, a mamografia oferecida pela Documenta é digital, considerada uma tecnologia mais avançada para essa finalidade. Entre as vantagens ao paciente, o mamógrafo digital proporciona menor exposição à radiação, mais rapidez no resultado e maior definição da imagem, o que permite uma análise mais assertiva no diagnóstico médico. “Com a mamografia no equipamento convencional, o pós processamento na geração da imagem é mais complexo e demorado. Além disso, a falta de cuidado na armazenagem ou manipulação inapropriada do exame por parte do paciente, como molha-lo, por exemplo, são fatores que podem levar à perda da qualidade da imagem adquirida, e impactar na interpretação médica de falso positivo ou, ainda, fazer com que a avaliação tenha que ser repetida para que o diagnóstico seja preciso. Por isso, é importante utilizarmos a tecnologia a favor da saúde”, explicou o médico Rafael Lopes Muniz de Andrade, especialista em Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

Cartão Rosa: cuidado constante

Um aliado importante da prevenção é o autoexame do toque nas mamas, que deve ser realizado mensalmente. Para incentivar a continuidade dos métodos preventivos, a Documenta distribui, todos os meses, o Cartão Rosa para que o público feminino possa anotar as datas de seu histórico de mamografias, assim, fica mais fácil programar quando será o próximo exame seguindo a indicação do médico. Quem faz a mamografia ainda recebe um folder educativo com passo a passo de como realizar o autoexame, além de informações sobre o câncer de mama, seus sintomas, fatores de risco, como se prevenir, entre outras instruções.

A gestora do Centro de Diagnóstico, Regiane Alves, explica que essa iniciativa é para que a mulher não se esqueça de cuidar de si mesma. “O Cartão Rosa é como um cartão de visita para ficar sempre na carteira e lembrá-la de reservar um tempo para cuidar da própria saúde, fazendo também o autoexame. Isso é fundamental para o ano inteiro, não só no mês de Outubro Rosa. Quem desejar adquirir o cartão, basta retirá-lo, gratuitamente, na Documenta – localizada no primeiro andar do Hospital Cassems de Campo Grande”, informa.

Na família de Nilza Abreu, de 62 anos, também existe o histórico da doença. “Já faço o exame desde os 48 anos, na primeira vez fiquei bastante constrangida, mas no Centro de Diagnóstico Documenta o atendimento foi muito bom”. Nilza também recebeu o Cartão Rosa, que vai ajudá-la a se planejar para os próximos exames. “Achei ótima essa ideia porque sou esquecida e já estou carregando o cartão na carteira. Como é uma doença silenciosa, temos que nos cuidar, a saúde é prioridade”, considera.

Sobre a Documenta

Localizado no primeiro andar do Hospital Cassems de Campo Grande, a mais moderna unidade hospitalar de Mato Grosso do Sul, o Centro Avançado de Diagnóstico por Imagem Documenta integra uma rede de sete unidades com mais de 20 anos de atuação, em Ribeirão Preto e região, em São Paulo. Referência no segmento de diagnóstico por imagem, a Documenta foi a primeira do estado de São Paulo a ter uma unidade, com a certificação Acreditado Pleno, concedida pela ONA – Organização Nacional de Acreditação – que atesta a segurança do paciente durante os procedimentos e a melhoria constante da qualidade dos serviços prestados.

Entre os serviços disponibilizados em Campo Grande estão: ressonância, tomografia, mamografia digital, ultrassom, densitometria óssea e raios X digital, realizados com a mesma tecnologia dos grandes centros de diagnósticos por imagem do país.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s