Um dia para celebrar a profissão de gari em Campo Grande

São eles que deixam a cidade limpa, seja varrendo as ruas ou recolhendo os sacos de lixo da porta de nossas casas. Seja no período diurno ou até mesmo de madrugada, lá vai estar a ‘turma da vassoura’, enfrentando as condições que o trabalho lhe impõe, como o sol e o cheiro forte da podridão. Muito embora o ofício de gari não seja reconhecido como uma grande profissão pela cruel e preconceituosa sociedade, a atividade é essencial para o paisagismo e até mesmo para a qualidade e saúde pública de qualquer cidade, por tanto, nada mais justo do que dar a eles uma data para celebrar o artifício.

Mídia 1

Foi publicada no Diário Oficial do Município (Diogrande) desta segunda-feira (05) a Lei Municipal 6.117/2018, que institui no calendário oficial de eventos de Campo Grande o Dia Municipal do Gari, a ser celebrado anualmente no dia 16 de maio em homenagem aos profissionais que atuam nos serviços de limpeza, conservação e coleta de lixo da cidade.

A data não foi escolhida por acaso, na verdade, tem ligação com a história da profissão, criada há pouco mais de 100. Primeiro, vamos explicar a origem do termo “gari”, a palavra é uma referência ao empresário francês Aleixo Gary, fundador de uma antiga empresa responsável pela limpeza das ruas da cidade do Rio de Janeiro, ainda nos tempos do Brasil imperial.

Diz a história que, em 11 de outubro de 1876, Gary assinou um contrato com o Ministério Imperial para organizar o serviço de limpeza da cidade, que incluía a retirada de lixo de casas e praias e o transporte para a Ilha de Sapucaia, atual bairro Caju. Os empregados de Aleixo Gary eram chamados de garis. O contrato dele venceu em 1891 e seu primo, Luciano Gary, o substituiu.

A empresa do primo acabou em 1892 e, então, foi criada a Superintendência de Limpeza Pública e Particular do Rio de Janeiro, cujos serviços não eram bons. Os problemas se agravam e em 1897, a Prefeitura resolve contratar novamente serviços particulares, que por sua vez, não conseguiram cumprir com os seus contratos, o que faz então a prefeitura em 1899 retomar seus serviços de limpeza da cidade.

Em 1904, a Prefeitura do RJ compra o terreno da Rua Major Ávila, nº 358, na Tijuca, onde se localiza a sede da Comlurb. Em 1906, o serviço de limpeza urbana dispunha de 1.084 animais, já insuficientes para a limpeza da cidade que produzia 560 toneladas de lixo. É assim que, a título de experiência, são adquiridos dois primeiros auto-caminhões para a coleta de lixo da cidade. A lei que instituiu a categoria de ‘gari’ foi assinada somente no dia 16 de maio de 1962.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s