Saída de cubanos deixa municípios de MS sem médicos de atenção básica à saúde

As cidades de Alcinópolis e Figueirão estão sem o atendimento médico de atenção básica à saúde, área que é considerada a ‘porta de entrada’ dos pacientes no Sistema Único de Saúde (SUS). Isso porque os profissionais que realizavam esses procedimentos são cubanos contratados por meio do programa federal ‘Mais Médicos’, que não será mais continuado por decisão do governo de Cuba, aparentemente por não concordar com o resultado das eleições nacionais deste ano.

Drogaria Rio de Janeiro vermelhado

Com o rompimento do acordo, todos os médicos naturais de Cuba e que estavam esparramados pelo interior do país, atuando em municípios onde profissionais brasileiros dificilmente atendem, estão retornando ao seu país de origem, deixando as unidades de saúde destas localidades sem a presença de um médico para prestar o atendimento básico, pelo menos enquanto o Governo Federal não efetiva a contratação dos mais de 8,5 mil médicos que irão repor essas lacunas.

De acordo com um levantamento feito pelo Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), pelo menos 285 cidades em 19 estados do Brasil devem ficar sem médicos dedicados à atenção básica em saúde na rede pública com a saída dos cubanos. Os profissionais desta área atuam na prevenção, diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos e manutenção da saúde. O trabalho é realizado, sobretudo, em unidades básicas de saúde (UBS) e espaços equivalentes.

Cada equipe de Saúde da Família conta com apenas um médico, mas também tem outros profissionais de saúde — como enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde. Os médicos vindos de Cuba atuavam nessas equipes, ficando responsáveis por até 4 mil habitantes. Em Mato Grosso do Sul, apenas as cidades de Figueirão e Alcinópolis foram prejudicados com o fim do programa federal, segundo os dados do levantamento.

Da contratação de novos médicos

Ao todo, serão contratados pelo Governo 8.517 profissionais em carácter de urgência. Segundo o Ministério da Saúde, o programa já recebeu o cadastro de 6.394 inscritos até a manhã de quinta-feira (22), mas apenas 2.209 profissionais concluíram a inscrição e escolheram a cidade de atuação, isso porque o site sofreu um ataque cibernético e ficou fora do ar. O prazo de inscrição, que terminaria no domingo (25), deve ser prorrogado.

Após a conclusão das inscrições para profissionais formados no Brasil ou com diploma revalidado, um segundo edital, para profissionais estrangeiros sem diploma revalidado, está previsto para ser publicado. Inicialmente, ele seria divulgado na próxima segunda-feira (26).

De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), cinco voos de retorno a Havana devem deixar o Brasil até o sábado (24). Os primeiros devem sair do país ainda nesta quinta-feira (22), e há outros programados para sábado. Os médicos sairão do Brasil por Brasília, Manaus, Salvador e São Paulo.

 

Foto de capa: TV Verdes Mares/Reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s